Barra do Garças – MT – 24 de maio de 2024
Barra do Garças – MT – 24 de maio de 2024

O poder do fiador | FOLHAMAX


O fiador é alguém que assume a responsabilidade de pagar uma dívida ou cumprir uma obrigação caso a pessoa principal não o faça.

O poder do fiador reside na sua capacidade de fornecer garantia adicional aos credores, aumentando a confiança na concessão de empréstimos ou contratos.

Ato contínuo, pode ajudar pessoas a obterem financiamento ou alugarem imóveis quando, de outra forma, não seriam aprovadas devido à falta de histórico de crédito ou de renda suficiente.

Por outro lado, é importante notar que ser fiador também implica atrair riscos para si, já que o fiador é legalmente responsável pelo pagamento da dívida,caso o devedor principal não cumpra com suas obrigações.

O perigo de ser fiador em um contrato, é que você assume a responsabilidade por pagar a dívida caso o devedor principal não o faça.

Isso pode resultar em consequências financeiras negativas, incluindo ações legais e danos ao crédito, se não puder cumprir com o pagamento.

Depreende importante salientar que, o fiador pode ter direito a defesa em certas e raras situações.

A título de exemplo, se houver irregularidades no contrato de locação ou se o devedor principal não honrar suas obrigações de forma justificada, o fiador pode buscar proteção legal.

Porém, a defesa de um fiador é bem delicada, pois, ele de livre espontânea vontade ofereceu seu patrimônio em garantia.

É importante lembrar que, em alguns casos, é possível substituir um fiador por um seguro de fiança instrumento usado bastante em locações.

Esse seguro funciona como uma garantia para o locador, cobrindo eventuais inadimplências do locatário. Muitos proprietários aceitam esse tipo de garantia como alternativa ao fiador tradicional, pois oferece uma camada adicional de segurança.

Finalmente, o maior poder do fiador é dizer não. O contrato de fiança é um dos mais perigosos que existem, pois, via de regra não cabe defesa para retirar ele de sua condição.

Destarte,  utilize o poder do não, e informe ao devedor principal para que use outra garantia ao invés do seu precioso nome.

Rodrigo Furlanetti é advogado empresarial em Cuiabá.



Últimas notícias

Gostou? então compartilhe!